A pododermatite é uma doença geralmente de origem infecciosa, aguda ou crônica, caracterizada pela presença de necrose que pode atingir toda a região do pé do animal (pele, ossos, articulação, tendões, etc.). Essa é uma doença muito comum nos rebanhos leiteiros, responsável por diversos prejuízos a atividade leiteira atribuídos principalmente a diminuição da produção de leite, descarte precoce, perda de peso, redução na fertilidade além de altos custos no tratamento (BORGES, 1998).

Segundo estudos, as afecções podais são a terceira maior causa de descarte em vacas de leite, atrás apenas dos problemas reprodutivos e das mastites. Para se ter uma ideia do prejuízo, cerca de 11% a 25% das vacas do Brasil são afetadas por essa enfermidade (DIAS, 1996; NOCEK, 1993; RUTTER, 1994; KJOME, 1998).

A pododermatite séptica é apenas uma das diversas doenças podais que existe, sendo muito difícil diferenciá-las devido a grande semelhança dos sinais clínicos em suas fases iniciais, sendo eles: inflamação do tecido interdigital, ulceração da pele, seguida de evolução para um comprometimento mais avançado do espaço interdigital, talões e outros tecidos adjacentes (BLOWEY, R. et al., 1994).

Os portadores de pododermetite apresentam na fase inicial da doença claudicação, edema, vermelhidão local, sensibilidade ao toque, presença de pontos amarelados entre os dedos, sem maiores lesões macroscópicas aparentes (GREENOUGH, P. R., 2000). Em casos um pouco mais avançados o edema local agrava-se, acentua-se a dor e há fistulação no espaço interdigital, que nada mais é que a liberação de secreção sanguinolenta no local. Quando não se faz tratamento as lesões podem se tornar irreversíveis e em casos crônicos os cascos tornam-se longos e disformes (CARLTON, W. W. et al., 1998).

Para o controle dessa enfermidade na propriedade é importante evitar condições de umidade e contaminação por material fecal nos currais, pois favorece a proliferação de microrganismos patogênicos causadores da pododermatite. Adicionalmente é importante atenção ao terreno onde os animais estão acondicionados, terrenos muito ásperos favorecem o aparecimento da enfermidade (RIET CORREA et al., 2007).

Como tratamento indica-se o uso de pedilúvios de sulfato de cobre, formol ou sulfato de zinco a 5% – 10%, separadamente, duas vezes ao dia na entrada e saída da ordenha. A terapia antimicrobiana sistêmica a base de penicilina também é indicada (RIET CORREA et al., 2007). A J.A Saúde Animal, recomenda o uso de Diclopen 10 Milhões, associação de Penicilinas de ação rápida e de alta eficácia com estreptomicina e anti-inflamatório não esteroidal. Diclopen 10 Milhões, além de combater a infecção, age na inflamação, diminuindo a dor e edema, proporcionando ao animal maior conforto e retorno precoce as atividades produtivas.

 

Clique aqui e saiba mais sobre o Diclopen 10 Milhões 😊

 

Autor: Eduardo Henrique de Castro Rezende – Médico Veterinário – J.A Saúde Animal.

 

 

Referências:

  • BORGES, N. C. Caracterização do fluido rumenal e dos parâmetros clínicos – laboratoriais de bovinos com pododermatite. 69 f. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária) – Escola de Veterinária, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 1998;
  • BLOWEY, R. W.; DONE, S. H.; COOLEY, W. Observations on the pathogenesis of digital dermatites in cattle. The Veterinary Record, v. 135, p. 115-117, 1994.
  • GREENOUGH, P. R. Diseases of the feet of dairy cows – Infectious disease of the interdigital space. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA E ANESTESIOLOGIA VETERINÁRIA, 4., 2000, Goiânia. Anais eletrônicos [CD-ROM], Goiânia: Temma, 2000.
  • CARLTON, W. W.; McGAVIN, M. D. Patologia veterinária especial. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 672 p.
  • DIAS, R. O. S. Tratamento de cascos se faz com informação e critérios. Revista Balde Branco, v. 385, p. 26-9, 1996.
  • NOCEK, J. E. Hoof Care for Dairy Cattle. Fort Atkison,Ed. W. D. Hoard & Company, 1993, p.32.
  • RUTTER, B. Afecciones podales del bovino: impacto econômico, diagnóstico diferencial, tratamento e profilaxia. In: ENFERMEDADES PODALES DEL BOVINOS. JORNADA- TALLER PARA MÉDICOS VETERINÁRIOS. Navarro, 1994. Abstracts… p.11.
  • FRASER, C. M. Manual Merck de veterinária. 6. ed. São Paulo: Roca, 1991. p.1.803.
  • RIET-CORREA, F.; SCHILD, A.L.; MÉNDEZ, M.C.; LEMOS, R.A.A. Doenças de Ruminantes e Equinos – 2 Edição, 2007.
  • KJOME, D. Cow lameness is costly for dairy producers. University of Minesota Extension Service. (On line: May 5,1998. http://w w w. extension. Umn. Edu/Documents/ J/ O / JO1138.html).
  • SMITH, B. P. Tratado de Medicina Interna de Grandes Animais. São Paulo, Manole, v.2, 1994. p.1.738.
  • SILVA, C. A., SILVA. L. A. F., EURIDES, D., JAYME, V.S., FIORAVANTTI, M.C.S. Caracterização clínica e tratamento da pododermatite bovina. Veterinária Notícias, v.5, n.1, p.35-40, 1999.

Deixe um comentário