Dentre os diferentes tipos de diarreia em bezerros, a salmonelose é uma das mais importantes, principalmente aquela atribuída a Salmonella enteritidis, sorotipo Dublin, que apresenta alta sobrevida em bovinos, induzindo altas taxas de morbidade e mortalidade (Veling et al., 2002).

A principal porta de entrada para infecção é a via oral (Wray e Sojka, 1977), sendo que ao adentrar por essa via a bactéria irá atingir a lâmina própria da parede intestinal e posteriormente irá provocar uma reação inflamatória caracterizada por uma enterite fibrinopurulenta necrosante (Santos et al., 2002).  Esse tipo de diarreia pode acometer qualquer categoria animal, entretanto ela é muito mais comum em bezerros, sendo descrita nessa faixa etária por vários autores (OLIVEIRA et al., 1989; LANCE et al., 1992; SAAD, 1993; MENDONÇA et al., 1996; ALVES, 1997; LIBBY et al., 1997; FECTEAU et al., 2003).

A infecção em bezerros com um a seis semanas de idade, caracteriza-se por diarreia, desidratação, febre alta (40,5 a 42,0ºC), pneumonia, poliartrite e gangrena de extremidades (Wray e Davies, 2000; Loeb et al., 2006), sendo que quanto mais jovem maior a taxa de mortalidade (Santos et al., 2002).

A diarreia é aquosa, com tonalidade marrom, apresenta fragmentos de mucosa, estrias de sangue (NIETFELD & KENNEDY, 1999) e mal cheiro intenso (RADOSTITIS et al., 2002). Como consequência da diarreia, há a desidratação, fraqueza, perda de eletrólitos e distúrbios ácido-básicos (RINGS, 1985; JONES, 1992).

A prevenção é ponto chave para o controle dessa enfermidade. Como é difícil identificar os animais que estão eliminando a doença é muito importante ficarmos atentos a fonte de contaminação mais comum que é a ingestão de água ou alimento contaminados. É crucial eliminar a contaminação por esterco de alimentos, silos, fontes de água e equipamentos (DIAS, 2017).

Os animais doentes devem ser tratados o quanto antes com antimicrobianos que atuem de forma eficaz na eliminação da Salmonela. O uso de quinolonas ou sulfas associadas a trimetoprim são medicamentos de eleição para essa enfermidade.

A sugestão da J.A Saúde Animal é o uso de Diclotril, Enrofloxacina pertencente ao grupo das quinolonas, podendo ser administrada por via intramuscular ou intravenosa na dose de 1mL/40 kg, uma vez ao dia, durante 3 dias. Como segunda opção, pode-se administrar o Mastissulfa, Sulfametoxazol associado a Trimetoprim administrado por via intramuscular ou intravenosa na dose de 2mL/15 kg, uma vez ao dia, durante 3 dias a 5 dias.

 

Autor: M.V. Eduardo Henrique de Castro Rezende – J.A Saúde Animal

 

ALVES, A.J. Ocorrência de enteropatógenos em bezerros diarréicos em fazendas de exploração leiteira. 1997. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia – UNESP.

FCTEAU, M.E.; HOUSE, J.K; KOTARSKI, S.F.; TANKERSLEY, N.S.; ONTIVEROS, M.M.; ALCANTAR, C.R.; SMITH, B.P. Efficacy of ceftioufur for treatment os experimental salmonellosis in neonatal calves. Am. J. Vet. Res., Chicago, v.64, n.7, p.918-925, 2003.

JONES, P.W. Salmonellosis. In: ANDREWS, A.H. Bovine Medicine – Diseases and husbandry of cattle, 1a ed., Blackwell Scientific Publications: Oxford, 1992, p.181-193.

LANCE, S.E.; MILLER, G.Y.; HANCOCK, D.D.; BARTLETT, P.B.; HEIDER, L.E. Salmonella infections in neonatal dairy calves. J. Am. Vet. Med. Assoc., Ithaca, v.201, p.864-868, 1992.

LIBBY, S.J.; ADAMS, L.G.; FICHT, T.A.; ALLEN, C.; WHITFORD, H.A.; BUCHMEIER, N.A.; BOSSIE, S.; GUINEY, D.G. The spv Genes on the Salmonella Dublin virulence plasmid are required for severe enteritis and systemic infection in the natural host. Infect. Immun., Washington v.65, n.5, p. 1786-1792, 1997.

MENDONÇA, C.L.; LAZARO, N.S.; CASTRO, R.S.; AFONSO, J.A.B.; HOFER, E. Occurrence of enterotoxigenic Escherichia coli and Salmonella sp in calves in the southern Agreste region of the state of Pernambuco, Brazil. Pesq. Vet. Bras., Rio de Janeiro, v.16, p.127-131, 1996.

NIETFELD, J.C.; KENNEDY, G.A. Salmonellosis. In: HOWARD, J.L. Current Veterinary Therapy – Food Animal Practice, v.4, W. B. Saunders Company: Philadelphia, p.377-381, 1999.

OLIVEIRA, A.A.; PEDREIRA, P.A.S.; ALMEIDA, M.F.R.S. Doenças de bezerros. I. Diarréias bacterianas no estado de Sergipe, Brasil. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., Belo Horizonte, v.41, p.213-222, 1989.

RADOSTITS, O.M.; GAY, C.C.; BLOOD, D.C.; HINCHCLIFF, K.W. Clínica Veterinária – um tratado de doenças dos bovinos, ovinos, suínos, caprinos e eqüinos. 9a. ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro, 2002. 1737p.

RENATA DE OLIVEIRA SOUZA DIAS. Medidas de biosegurança para prevenir a Salmonelose. Disponível em: <https://www.milkpoint.com.br/radar-tecnico/medicina-da-producao/medidas-de-bioseguranca-para-prevenir-a-salmonelose-16639n.aspx>. Acesso em: 03 nov. 2017.

RINGS, D.M. Salmonellosis in calves. Vet. Clin. North Am. – Food Anim. Pract., Philadelphia, v.1, p.529-539, 1985.

SAAD, M.K. Salmonellosis in newborn calves in a closed dairy farm. Vet. Med. J. Giza, v.41, p.43-45, 1993.

SANTOS, R.L.; TSOLIS, R.M.; BAÜMLER, A.J. et al. Hematologic and serum biochemical changes in Salmonella ser Typhimuriuminfected calves. Am. J. Vet. Res., v.63, p.1145- 1150, 2002.

VELING, J.; BARKEMA, H.W.; SCHANS, I. et al. Herd-level diagnosis for Salmonella enterica subsp enterica serovar Dublin infection in bovine dairy herds. Prev. Vet. Med., v.53, p.31- 42, 2002.

WRAY, C.; DAVIES, R.H. Salmonella infections in cattle. In: WRAY, C.; WRAY, A. Salmonella in domestic animals. Oxon: CABI Publishing, 2000. p.169-191.

WRAY, C.; SOJKA, W.J. Reviews of the progress of dairy science: bovine salmonellosis. J. Dairy Res., v.44, p.383-425, 1977.

Deixe um comentário