fbpx

O Brasil possui o maior rebanho comercial do mundo e a busca pela eficiência produtiva é algo fundamental para o aumento da lucratividade na pecuária. E para que possamos evoluir cada vez mais é necessário que haja um controle sanitário adequado, principalmente no que tange as endo e ectoparasitoses de bovinos (OLIVEIRA; BRITO, 2005). Dentre as ectoparasitoses, as miíases, também conhecidas como bicheiras, são uma das principais causas de prejuízos, estimando-se uma perda anual de 150 milhões de dólares (GRISI et al., 2002).

Miíase nada mais é do que infestação pela forma larval da mosca Cochliomya hominivorax, sendo que esse parasita necessita de um tecido vivo como alimento, infestando as bordas de feridas recentes. A ocorrência desse parasita é mais comum nas regiões tropicais, principalmente durante os períodos mais quentes e chuvosos do ano (GUIMARÃES & PAPAVERO, 1999).

Quanto a categoria animal, os bezerros são os mais acometidos, pois logo em seus primeiros dias de vida já há diversas feridas comuns nesses animais, dentre elas a ferida umbilical e as feridas decorrentes de intervenções relacionadas ao manejo, como castrações, mochações, entre outras (GRISI et al., 2002). Até mesmo a presença de carrapatos ou bernes já é fator predisponente, visto que a secreção serosanguinolenta resultante desses parasitas também atrai a Cochliomya hominivorax (CORRIER et al. 1979).

O controle e tratamento das miíases em bovinos pode ser feito de forma sistêmica e/ou local. Como forma sistêmica, destaca-se o uso do da Ivermectina, antiparasitário injetável mais utilizado no mundo em razão de seu largo espectro contra parasitos internos e externos (SERENO, 2016). Já o tratamento local baseia-se no uso de inseticidas tópicos que são utilizados diretamente sobre as feridas, tanto nas feridas livres de larvas, quanto naquelas infestadas pelos parasitas (GRISI et al., 2002).

Para o controle e tratamento das miíases, a J.A sugere o uso de Longamectina Premium 3,5% como antiparasitário sistêmico injetável e o uso local de Tanicura, larvicida em pó altamente eficaz na eliminação desse parasita, que proporciona facilidade na aplicação, aliado a um excelente custo benefício.


Nos acompanhe nas redes sociais!


Autores:

Eduardo Henrique de Castro Rezende – Médico Veterinário da J.A Saúde Animal

Referências:

GRISI, L. et al. Impacto econômico das principais ectoparasitoses em bovinos no Brasil. A Hora Veterinária, v.125, p.08-10, 2002.

GUIMARÃES, J.H. & PAPAVERO, N. Myiasis in man and animals in the neotropical region; bibliographic database. São Paulo: Plêiade/ FAPESP, 1999. 308p.

SERENO, José Robson Bezerra et al. PREVENÇÃO DE MIÍASES UMBILICAIS EM BEZERROS CRIADOS EXTENSIVAMENTE, NO PANTANAL, ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE IVERMECTIN. Corumbá: Embrapa, 1996. Embrapa, Corumbá, v. 16, n. 16, p.1-5, abr. 1996.

OLIVEIRA, Márcia Cristina de Sena; BRITO, Luciana Gatto de. Miíases dos Bovinos. Embrapa, São Carlos, v. 1, n. 1, p.1-10, nov. 2005.

Deixe um comentário