A cada dia que passa vemos um aumento significativo na produtividade dos rebanhos leiteiros, resultado da intensa tecnificação da genética, nutrição e sanidade animal. Com o aumento da produtividade, há um aumento também das demandas energéticas, sendo que a condição deficitária de energia, decorrente da ingestão alimentar insuficiente, é denominada de Balanço Energético Negativo (BEN).

Vacas de alta produção de leite não conseguem ingerir a quantidade necessária de nutrientes para suprir a elevada exigência nutricional determinada pela produção de leite (SANTOS et al., 1993). Nesse caso as vacas mobilizam nutrientes de suas reservas corporais, perdendo peso e diminuindo seu escore corporal. Quanto maior for a produção de leite do animal, mais longo será o período de permanência em estado de BEN. (MAGGIONI et al., 2008)

Segundo PATTON et al. (1988), as vacas em BEN, que ao parirem sem adequada reserva corporal podem ser mais propensas às doenças infecciosas, transtornos metabólicos, baixa eficiência reprodutiva e redução na produção de leite.  Há inclusive algumas doenças indiretamente interligadas ao BEN, como mastite clínica, metrite, deslocamento do abomaso, distúrbios digestivos entre outras. (INGVARTSEN, 2006; MULLIGAN et al., 2006).

Além da dieta adequada, uma forma de prevenção a esse desequilíbrio energético é a administração de suplementos estimulantes do metabolismo. Segundo Mcdowell (1999), a administração de fontes alternativas de minerais em ruminantes tem aumentado de maneira significativa, principalmente por atuar na melhora do aproveitamento energético dos animais.
O Fósforo orgânico é um dos suplementos utilizados nas situações em que ocorrem o BEN. Esse mineral desempenha um papel importante, pois está envolvido no crescimento e
diferenciação celular, na composição dos ácidos nucléicos (DNA e RNA) e hormônios (cAMP, cGMP), além de ser integrante de muitos intermediários do metabolismo energético (ATP, ADP), participando de importantes vias metabólicas de utilização e transferência de energia (González & Silva 2006). Adicionalmente, o Fósforo tem influência positiva no aumento do desempenho reprodutivo do rebanho (Cozzolino, 2007).

A J.A Saúde Animal lançou recentemente o Catofós®, um produto a base de Butafosfan, um fósforo orgânico de alta eficácia e biodisponibilidade associado a Vitamina B12, importante na estimulação do apetite e da hematopoiese. O Butafosfan contido no Catofós® é um tipo de fósforo orgânico que fornece os importantes íons que servem como catalisadores e também como substrato nos processos metabólicos energéticos.

 

Clique aqui e mais sobre o Catofós®.

 

Autor: M.V. Eduardo Henrique de Castro Rezende – J.A Saúde Animal

 

REFERÊNCIAS:

COZZOLINO, S. M. F. Biodisponibilidade de nutrientes. SP: Manole, p.67-175, 2007.

GONZALÉZ, F. H. D.; SILVA, S. C.; Introdução à Bioquímica Veterinária; Editora da UFRGS; 2ª Edição; p.55, 229-230, 2006.

INGVARTSEN, K.L. Feeding- and management-related diseases in the
transition cow: Physiological adaptations around calving and strategies to
reduce feeding-related diseases. Animal Feed Science and Technology,
v. 126, p. 175–213, 2006.

MAGGIONI, Daniele et al. Efeito da nutrição sobre a reprodução de ruminantes: uma revisão. 2008. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/material/Rotta174.pdf>. Acesso em: 21 jan. 2018.

MCDOWELL, L.R. Minerais para ruminantes sob pastejo em regiões
tropicais, enfatizando o Brasil
. 3 ed., University of Florida , 92 p., 1999.

MULLIGAN, F.J.; O’GRADY, L.; RICE, D.A. and DOHERTY, M.L. A herd
health approach to dairy cow nutrition and production diseases of the
transition cow. Animal Reproduction Science, v. 96, p. 331–353, 2006.

PATTON, R.A., BUCHOLTZ, H.F., SCHMIDT, M.K. et al. 1988. Body condition scoring: a management tool. Dairy Guide, East Lansing: Michigan. 6p.

SANTOS, G.T., PRADO, I.N., BRANCO, A.F. Aspectos do manejo do gado leiteiro especializado. Universidade Estadual de Maringá. 1993:. 23p. (Apontamentos, 22).

 

Deixe um comentário